Rádio Point do Reggae – Levando você até o coração da Jamaica.

menu x
menu x

NOTÍCIAS

O álbum “Til Shiloh” de Buju Banton ganha ouro 24 anos após o lançamento

KINGSTON, Jamaica – O álbum de Buju Banton ‘Til Shiloh’ foi certificado recentemente como ‘ouro’ pela Associação da Indústria de Gravação da América (RIAA) 24 anos após o lançamento do álbum.

“Til Shiloh” foi lançado em 1995 e apresenta alguns dos melhores trabalhos de Banton até o momento, incluindo faixas como “Untold Stories”, “” Til I Laid to Rest “” e “Wanna Be Loved”. Em 27 de setembro de 2019, a RIAA certificou o álbum como “ouro”, tendo vendido meio milhão de discos.

While fans of Buju Banton believe the album to be a classic, and the certification long overdue, Banton’s spike in popularity following his release from US prison last year may be the reason for the album being certified.

Em março deste ano, centenas de milhares de fãs se reuniram no Estádio Nacional em Kingston para ver Buju Banton se apresentar pela primeira vez em oito anos. O primeiro show da turnê “Long Walk To Freedom” atraiu entusiastas do reggae de todo o mundo no que se tornou o maior show da Jamaica desde o concerto Smile Jamaica de Bob Marley em 1976.

Banton, que foi repreendido na mídia após sua prisão em 2009, recebeu cobertura da mídia de agências de notícias de todo o mundo, incluindo BBC e CNN. Ele então se apresentou em várias outras ilhas do Caribe e até retornou à Europa pela primeira vez em 10 anos, conquistando uma série de novos fãs que nunca ouviram falar de Banton antes.

O produtor de música jamaicano Bobby Digital também acredita que a remoção da polêmica música “Boom Bye Bye”, que provocou indignação nos Estados Unidos devido a suas letras homofóbicas, também ajudou o caso de Banton.

“Todas essas coisas entram em jogo. Foi como uma punição – tentar deixar uma marca nos dias anteriores, quando havia estigma nas músicas populares (e no gênero) ”, disse ele à mídia local.

Antes do início da turnê Long Walk To Freedom, no início deste ano, Banton decidiu remover permanentemente a música de seu catálogo, dizendo que “reconhecia que a música causava muita dor aos ouvintes”.

NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

Cidade pelo Mundo!